Vitale

TELEVENDAS:

81 3205.1700

Vitale

Notícias e dicas


Sete respostas que podem ajudar a resolver sua cefaleia


Cefaleia – já ouviu falar neste termo? E dor de cabeça? Eles são sinônimos, representam a mesma coisa. É um velho sintoma que faz a pessoa levar as mãos para a cabeça, tapar os olhos e, se possível, fugir de qualquer barulho ou luz forte. São vários os tipos. Pode ser constante ou latejante, no meio da testa ou nas laterais da face. Não importa a forma. A verdade é que essa dorzinha incomoda mesmo. Mas não pense que se trata de um problema seu exclusivo. Pesquisas apontam que 90% das pessoas já tiveram cefaleia, em algum momento da vida. Ela está entre as queixas mais frequentes nas unidades de saúde, seja nas emergências ou nos consultórios de especialidades como Neurologia e Clínica Médica bem como em Oftalmologia, Otorrinolaringologia e até em nosso serviço de Odontologia em disfunções na mastigação.

E quem disse que esse é um problema característico da modernidade? Engana-se quem imagina isso. A cefaleia faz parte de registros de antigas civilizações, entre elas os egípcios. Médicos que viveram anos antes de Cristo, como Hipócrates, já faziam citações a respeito do tema.

Quais as principais causas e sinais? Como é feita a investigação? Qual a melhor maneira de tratar? A Salute Clínicas Especializadas resolveu dar uma ajuda e elaborou sete respostas que vão tirar as principais dúvidas sobre o assunto.

1) Sentiu uma dor de cabeça sem motivo aparente? Ela se apresenta de forma insistente, nos últimos tempos? Não importa se é rápida, demorada, contínua, leve ou forte. Vá atrás de um neurologista, o quanto antes. A prática da automedicação é proibida e oferece riscos, ainda que o caso seja, aparentemente, simples. Só o médico pode dizer do que se trata e prescrever medicamentos.

2) Diagnóstico: essa é a palavra-chave. O fato de a cefaleia ser algo comum não significa que se deve adiar ou abrir mão de uma investigação para classificá-la e descobrir as causas.  Ao saber exatamente o tipo do problema, é possível apontar ou buscar os meios mais adequados para identificar, os fatores motivadores e o melhor tratamento a ser adotado. O primeiro passo para obter essas respostas é a conversa, em consultório, na qual o médico questiona os casos existentes na família (histórico familiar), início do problema, a frequência e a intensidade da dor. A “entrevista” permite ainda ter uma ideia geral sobre o estado de saúde do paciente e levantar suspeitas a respeito de possíveis patologias existentes. A partir daí, se achar necessário, o profissional solicita exames subsidiários (ver no item 6 alguns dos exames).

3) A cefaleia pode ser súbita, subaguda ou crônica. São vários os tipos, mas vamos aqui classificá-la em dois grupos: primária e secundária. É primária se ocorre de forma isolada. Normalmente, é quando não há sinais de alguma doença ou infecção. É secundária quando está associada a alguma patologia e representa apenas um dos sintomas da doença. Em resumo, é um sinal de que algo não vai bem no organismo. Com essa classificação o médico consegue estabelecer tratamento e fazer prognósticos.

4) Há alguns sinais considerados de alerta para doenças intracranianas agudas. Entre eles estão: associação a algum déficit neurológico ou a convulsão, após trauma de crânio e em pacientes que usam medicamentos anticoagulantes.

É preciso muito cuidado nas seguintes situações, consideradas sinais de alerta:

  • Ocorrências na terceira idade;
  • Ocasionada por esforço físico ou sexual;
  • Dor progressiva;
  • Associada a sintomas como febre, náuseas, vômitos, sintomas neurológicos,
  • Elevação da pressão arterial;
  • Na existência de redução de consciência, de nuca rígida:
  • Em pacientes com neoplasia, HIV ou coagulopatias. Nesses casos, há risco
  • Grande de patologias no sistema nervoso. Isso exige uma investigação maior
  • Com exame de imagem, punsão;
  • Em pacientes que tiveram traumatismo craniano é preciso checar a existência de hematomas e fraturas.

5) Já ouviu falar na cefaleia em salvas? Caracteriza-se por uma dor muito forte, considerada por muitos como extrema, em um dos lados, na área acima dos olhos. Há ainda relatos de vermelhidão na região. Em geral, ocorre com maior frequência em homens com mais de 30 anos de idade.

6) Qual exame fazer? A solicitação do especialista será baseada nas suspeitas que ele tem sobre o caso. Entre os principais estão:

  • estudo radiológico funcional da coluna;
  • tomografia computadorizada;
  • ressonância magnética;
  • VHS (exame de sangue);
  • líquor (punção liquórica);
  • biópsia.

Nos casos de cefaleia primária, quando os exames clínico e neurológico apresentam resultados normais, não há necessidade de uma investigação mais profunda.

7) Diagnóstico pronto, hora de escolher o tratamento. Não há uma receita que a Medicina aponte como a solução para a cefaleia. Tudo vai depender dos fatores já citados como frequência, duração e intensidade da dor, além dos detalhes apontados nos exames clínico e complementares.

O tratamento começa com atividade física regular após devida avaliação do cardiologista, dieta balanceada com frutas, legumes e boa ingestão de água – no mínimo dois litros/dia. Dormir bem também é fundamental. Apenas com essas orientações é possível uma redução significativa na frequência das dores.

Quando, apesar de tudo isso, o número de crises continua entre duas e três por mês, as faltas no trabalho e na escola permanecem e há modificações nos hábitos de vida impostos pela limitação da dor, indica-se o tratamento preventivo da cefaleia, o qual é prescrito pelo neuro.

O tratamento medicamentoso inclui o uso de drogas mais comuns e, se houver necessidade, o aumento progressivo de remédios mais fortes para garantir o alívio do paciente.

Nunca é demais ressaltar que ninguém deve se automedicar. O uso abusivo e diário de analgésicos pode transformar uma simples cefaleia episódica em um problema crônico diário.

O uso abusivo do álcool, de anticoncepcionais orais, como também o tabagismo, sedentarismo, dieta rica em gordura, fritura e cafeína são fatores que podem predispor as cefaleias cranianas.

Entrega Eficiente

Compromisso de entregar nossos
produtos com rapidez e segurança.

TELEVENDAS:

81 3205.1700